19 de junho de 2017

Imperiaculturismo

Já dizia China Entoando pesado: Hardcore brasileiro é o frevo. Nosso groove enfestado, Maracatu de baque virado.

Street arte é cordel, Prosa e verso de alegria e fel.
Embolada é rap de menestrel . Para cada Basquiat, Arthur Bispo é o que há.

Nosso Dylan Morreu esses dias
Desaparecido Belchior Pois não já não cabia Em nossa mono anarquia.

Para Guevara, Zumbi. Para os panteras, Dandara.
Se eles tem Robbin Hood, Não nos deixa na mão: Ave Lampião.

O resto, todo o resto? Falta de referência
Cultura esquecida Abandonamos nos mesmos Feito massa falida.

23 de maio de 2017

Pobre. Com sorte é craque. Sem sorte, crack.
Ocre. Com ou sem Sorte Explorado Até o corte.
Torpe. Mercadoria da morte. Em números, Nunca em nomes.

9 de fevereiro de 2017

Esteriótipo
Estéril e óptico
Enxerga com a dor
Incapaz de reproduzir amor