20 de junho de 2018

estranhos

estranhos são os dias frios que queimam mesmo sem ter sol estranhas são os olhares que machucam mesmo sem bater estranhos são medos que apavoram mesmo sem que você possa ver estranhos são os sins que na verdade são nãos estranhos são vocês indo em frente na contramão

30 de maio de 2018

Tudo ou Nada


O nada já temos. E do nada, Há muito, Tudo fazemos. E agora, Se formos Todos Com tudo, Certamente, Nada sobrará Do nada.
Decifra-me? Obrigado, De nada

8 de janeiro de 2018

Gosto

Lá fora chuva Aqui dentro Sempre sol Sol e chuva Chuva e sol Sal e açúcar Açúcar e sal Seco Molhado Doce Salgado O bom dos dias É ser contrariado O melhor da vida É estar enganado Lá fora sol
Aqui dentro Sempre chuva Aqui dentro Vez ou outra
A vida pura
Desguta

11 de dezembro de 2017

Fome

Peito Coxa Bunda Boca Olhos Lábios Língua Cu Buceta Grelo
Com os olhos Devorou cada uma das partes Mas com o lado de dentro do peito Jamais experimentou por inteiro
Se fartou de carnes Se intoxicou com as carnes Morreu de inanição, de solidão Sem saborear o tutano derradeiro

1 de novembro de 2017

Dia de Todos os Santos

Hoje é Dia de Todos os Santos
Dia de José dos Santos
Me rege e me guia
Em cada curva
Linha após linha

Hoje é dia, de quem me foi família
Dia de lembrar da alegria
Me rege e me guia
Contador e cantadô
Para quem não teve pai, a vida deu avô

Hoje é de José dos Santos
Dia de quem me trouxe amor
Me rege e me guia
Na fumaça do paiêro
Celebro meu vô carreiro

Hoje é Dia de Todos os Santos
Dia de beber quem não foi Santo
Me rege e me guia
Cavalgando o baio
Leva meu peito no cangalho

___

Jamais se esqueça de que te trouxe até aqui

3 de outubro de 2017

Quanto menos entendia Menos tentava compreender No pensamento lento
Um lamento
Jazia o sentimento Em um segundo, em um momento Odiava você.
Esquecimento

22 de setembro de 2017

Cotidiano

Preto na senzala Coronel lá no salão Pobre na favela Rico na mansão Miserável na sarjeta Classe média vendo televisão Trabalhador atarefado O descanso é do patrão Muda o nome do descaso Mas é tudo escravidão Obedece quem tem juízo Quem se cansa diz não Morre quieto no prejuízo Se esquecem do irmão Capital é autoridade Liberdade, ilusão